Animais na Moda


Já perceberam que algumas raças de animais entram e sai de moda?

Savannah

Para estar na moda, pessoas motivadas talvez por uma novela, celebridade ou filme, adquirem animais de uma raça específica.

Eu trabalho na região dos Jardins aqui em São Paulo, e duas raças de cães são notadamente mais vistas: Lhasa Apso e Labrador.  O passeio    destes cães por entre os metros quadrados mais caros de São Paulo (quiçá do Brasil) são geralmente com os tratadores e  as empregadas.

Lhasa Apso

Os proprietários destes animais poderiam comprar qualquer raça de cão, mas escolheram as raças da moda. Não há preocupação com os cuidados diários do animal, como alimentar, dar banho, levar ao veterinário, passear, pois são pagos pessoas para fazer o trabalho pesado. O papel do cão nestes casos é de objeto, para decorar a casa, e acessório, para um eventual passeio. Nestes casos o cão é um símbolo de status, pois um Lhasa ou um Labrador não saí por menos de R$ 2 mil.

Acessório

Um bom exemplo que o animal é somente um acessório:

Oi? Um cão para casa roupa e ocasião?

Cães e gatos usados somente para enfeitar. E quando os proprietários destes animais são questionados sobre as características dos animais, o máximo que poderão informar será o nome da raça e o valor pago.

Abandono

E quando estas pessoas enjoam do “brinquedo”? E quando o “acessório” sai de moda, o que fazer? A resposta geralmente é o abandono.

Vemos todos os dias notícias de gatos e cães (principalmente), que são abandonados mesmo com pedigree.  Animais que são jogados nas ruas idosos, doentes, que estavam acostumados com uma vida boa e que sofrem por não saber se virar.

Também vemos casos de cães de grande porte que são abandonados, pois quando filhotes são lindos, graciosos, e a medida que o tempo passa eles crescem, ocupam tempo, espaço e dinheiro. E os proprietários destes cães não acham outra alternativa senão abandoná-los.

Me recordo que nos anos 90 a moda era ter uma Iguana, todo mundo (inclusive eu) queria ter uma Iguana, só que o valor para comprar e manter era muito alto. Depois de algum tempo a moda passou, e os abandonos começaram. Iguanas eram encontradas em parques, nas margens de rodovias, próximo a vegetação. Creio que os proprietários destes animais não foram informados que eles podem chegar a 2 metros de comprimento, e que mesmo fossem devolvidos a natureza não conseguiriam sobreviver, pois não se adaptariam.

Pastor Alemão

Pastor Alemão é outro caso. Havia uma época que cada casa,  garagem ou quintal tinha um Pastor Alemão, considerados ótimos cães de guarda, mas hoje não se vê cães desta raça com frequência. Assim como os Pit Bulls, que são extremamente discriminados hoje, mas que um dia cada bombado de academia deste país tinha um.

Demanda

Aproveitando a demanda, muitos Pet Shops se aproveitam e cobram preços absurdos por um filhote, ou um animal exótico.

Não é um gato do mato é um Savannah

Savannah: Preço médio U$ 6.000,00 (R$ 12.000,00) por filhote.

Golden Retriever

Golden Retriever: Preço médio R$ 2.500,00 por filhote.

Maine Coon

Maine Coon: Preço médio R$ 2.000,00 por filhote.

Responsabilidade

Criar um animal de raça requer muitas responsabilidades, pois é comprovado que animais de raça são mais suscetíveis a doenças do que um sem raça definida (SRD).

Tem que haver o comprometimento em cuidar bem, e tratar bem. Como havia dito acima, muitas pessoas contratam pessoas para cuidar de seus animais, evitam qualquer contato com o animal quando não querem, além do básico (alimentação e abrigo), tem que ter carinho e amor.

Compre o animal, mas tenha em mente que ele não é um brinquedo.

Adoção

Eu sou a favor da adoção. Acho absurdo pagar um valor alto por um filhote sendo que tem vários animais nas ruas esperando um  lar.

Um amigo não se compra!

Acompanhei um caso em que uma mãe desesperada procurava um cachorro para adotar, pois havia prometido ao filho um cãozinho de presente de Natal, promessa que não havia cumprido, e por isso o filho chorava sem parar e já estava doente. Indiquei o site do AnimaiSOS. Dias depois soube que o filho acessou o site junto com a mãe, e a criança insatisfeita falou que não achou nenhum cão da raça que ele queria, e a mãe foi lá e comprou o cão pro garoto! Se desejava tanto um animal de estimação, à ponto de ficar doente, a raça não seria problema, concordam? Mas tinha que ser daquela raça, e ponto, e a mãe cedeu ao filho mimado.

Post enorme, mas queria falar um pouco sobre esta futilidade em transformar animais em objetos da moda, sem ter qualquer comprometimento sobre a saúde física e psicológica deles.

Desculpe se houve qualquer tipo de erro de concordância ou gramatical, e perdão pelo post desabafo.

Ótima tarde para vocês!

Beijos,

Anúncios

Sobre Sora 空

Paulistana, 30 anos, tem 70 gatos em casa.

Publicado em junho 5, 2012, em Uncategorized e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Ótimo texto, Sora! Principalmente sobre o modismo e o papel de acessório com que muitas famílias tratam seus animais domésticos, o que é triste e lamentável.
    Também sou super a favor da adoção e da conscientização na venda de um animal. Seria interessante que o futuro “comprador” fosse entrevistado para avaliar se o perfil é adequado a ter um animal em casa. Mas acredita que alguém deixaria de focar no lucro aqui em São Paulo?
    É preocupante o que está se tornando esse mundo.

    Um abraço e parabéns!

    Rubens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: