Toxoplasmose


A desinformação tem colaborado para a rejeição e abandono de gatos.

A também conhecida Doença do Gato, NÃO é transmitida somente por gatos.

Encontrei uma reportagem muito interessante sobre o tema, portanto vou reproduzir a matéria que foi publicada na revista Pulo do Gato, edição nº 18.

Foto: Reprodução Capa revista Pulo do Gato #18

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, a toxoplasmose, também conhecida como Doença de Gato, não é transmitida somente por felinos. Um estudo publicado pelo professor do departamento de medicina veterinária preventiva da UEL, Itamar Teodorico Navaro, informa que o toxoplasma gondii, nome científico da toxoplasmose, encontra-se distribuído mundialmente também nas espécies suínas, bovinas, ovinas e eqüinas.

Há três formas de uma pessoa ser infectada: (1) infecção transplacentária, (2) ingestão de alimentos ou água contaminados com oocistos esporulados de fezes de gatos, (3) ingestão de carne crua ou mal-cozida contendo cistos teciduais. Embora raras, existem outras vias de transmissão citadas na literatura especializada, como transfusão de sangue, transplante de órgãos para receptores não infectados e acidentes de laboratório.

Apesar de existirem essas diferentes formas da transmissão da doença, a forma mais popularmente conhecida é a de transmissão através dos gatos. Transmissão essa que pode ser perfeitamente evitada.

O gato para ser infectado precisa ingerir cistos contidos nos tecidos de hospedeiros intermediários, principalmente pequenos mamíferos e pássaros, para depois expelir no ambiente. Mas as fezes do gato contém apenas os oocistos e para se tornarem infectantes é preciso de 1 a 5 dias após a excreção (dependendo das condições do ambiente). Sendo assim, as fezes frescas não transmitem toxoplasmose.

Os gatos quando reinfectados geralmente não voltam a excretar oocistos, pois desenvolvem imunidade devido à primeira infecção. Foi provado que essa imunidade pode durar em até 6 anos em cerca de 55% de gatos sob condições experimentais.

Também é improvável que os pêlos, a mordida ou a arranhadura do gato transmitam a doença.

Uma vez infectado, o homem tanto pode apresentar sintomas de gripes, como o de doenças debilitantes e até fatais, dependendo de fatores imunológicos e genéticos de cada um.

A comerciante Letícia Werneck Streithorst conta que há mais de um ano apareceu um caroço grande na base da cabeça de seu marido: “Entramos em pânico e fizemos vários exames. Até que enfim o clínico detectou que era nada mais nada menos que toxoplasmose. Até aí tudo bem. O caroço desapareceu com o tempo. Ele nos disse que não era preciso fazer nada, que provavelmente eu também estaria contaminada, mas que era uma questão de tempo para ficarmos bons. Meses depois resolvi fazer todos os exames de praxe para tentar uma possível gravidez e lá estava ele, o toxoplasma! Meu ginecologista pediu que eu consultasse um infectologista para me certificar dos possíveis riscos, etc.”

Quando uma mulher grávida adquire uma infecção pelo T. gondii pela primeira vez, o parazita pode infextar a placenta e, então, o feto. Isso pode causar aborto, natimorto, seqüelas neurológicas, desordens oculares e infecções subclínicas. Se a mãe estava cronicamente infectada antes da gestação, considera-se que o feto estará protegido da infecção. O feto só é afetado com a toxoplasmose no período inicial da doença, que obedece a um ciclo decrescente. Ou seja, o nosso próprio organismo vai “se curando” e depois disso é como se ficássemos vacinados.

Estatísticamente o número de pessoas que já entraram em contato com o toxoplasma gondii é muito grande. A toxoplasmose é uma doença universal, sem preferência de sexo ou raça, estimando-se, segundo a Secretaria do Estado da Saúde do Pará, que de 70% a 95% da população estão infectados, ou já entraram em contato com o protozoário.

O médico de Letícia informou que para ela ter adquirido a doença dos gatos – o período de maior transmissão é na infância (0 a 4 meses) – seria preciso que ela levasse fezes ou a mão suja de fezes até a boca. Por isso, a comerciante acredita que ela e o marido foram infectados através de carne mal-passada.

Convivência saudável entre humanos e gatos

Já a professora Elaine Andrade Carvalho dos Santos foi pega de surpresa. Ela ficou sabendo que tinha tido contato com o T. gondii perto do seu casamento, quando fez os exames pré-nupciais, em que estavam incluídos os de toxoplasmose. Embora não apresentasse nenhum sintoma, a médica pediu um outro exame, em que a toxoplasmose se confirmou. A professora foi orientada a voltar depois da lua-de-mel para um acompanhamento da evolução do caso, já que ela não havia desenvolvido a doença e ela apenas tinha entrado em contato com o toxoplasma, não tendo motivos para se preocupar. A vida nova e a adaptação fizeram com que Elaine não se preocupasse mais com a toxoplasmose. Mas a médica a aconselhou a tomar alguns remédios antes de engravidar; como isso ainda não fazia parte de seus planos, acabou ficando para mais tarde.

“Os médicos deveriam ler tudo o que há sobre toxoplamose antes de falar o que falam aos seus pacientes, pois tenho certeza que muitas pessoas jogam seus gatos fora, dizendo que o médico mandou. Os meus gatos nunca tiveram toxoplasmose, enquanto eu e minha irmã temos, e ela já é mãe, de um bebê hiper saudável”, conta Elaine. “O meu médico ortomolecular disse que é preciso ‘reciclar as idéias’; ele é a favor de que as crianças tenham contato, praticamente desde que nascem, com animais. Ele tem gato e cachorro, a filha dele nunca tomou remédios e nunca ficou doente”, completa.

Para desbancar aqueles que não acreditam que o principal meio de contágio atualmente é a carne crua ou mal-passada e verduras, água e alimentos contaminados, Elaine explica que mandou fazer exames nos seus gatos e o resultado foi negativo. “Nesta casa só eu tenho toxoplasmose”, brinca a professora que adora carne, inclusive kibe cru.

Lave bem os alimentos e suas mãos antes de comer.

Tentando fugir do risco da contaminação ela diz que já visitou cozinhas de restaurantes, verificando as condições de higiene. Mas ela reconhece que não é na cozinha que a carne de vaca ou de boi irá se contaminar e sim no pasto, chegando ao consumidor final já contaminada. Na cozinha, a melhor forma de prevenção é cozinhar bem os alimentos.

Há também como prevenir a contaminação dos gatos, pois eles só são infectados quando se alimentam de carne crua (o que demonstra mais uma das vantagens de oferecer-lhes alimento industrializado).

Qualquer pessoa que deseja saber se teve ou se tem toxoplasmose, basta procurar um médico para que ele solicite dois exames de sangue, um que detecta se a pessoa já teve e outro que detecta se ela está com a toxoplasmose. Esses exames são muito importantes para as mulheres que querem engravidar, pois se ela já teve e passou do período crítico, ela está livre do risco de passar a doença para a criança. Mas, mesmo nesses casos, os médicos recomendam um tratamento de dois meses para fortalecer o organismo e para garantir que o futuro bebê não corra nenhum risco.

Enfim, o tema é controverso e cercado de muitos mitos e preconceitos gerados pela pura falta de informação. A toxoplasmose, claramente, não é mais um pretexto para se livrar dos gatos – a não ser que a intenção já exista antes mesmo da doença e, neste caso, até uma simples sarna poderia ser motivo para se desfazer do animal.

Achei melhor reproduzir esta matéria do que eu escrever sobre algo que não tenho total conhecimento, e acabar informando coisas erradas, e confundindo mais os leitores do blog.

Eu fiz os exames para Toxoplamose e deu negativo. A questão é ter bom senso, higiene e cautela, seguindo as orientações acima. E os gatos não são os vilões afinal.

Tem outro artigo muito bom aqui no ABC da Saúde, vale a pena dar uma lida.

Espero que tenha esclarecido um pouco mais sobre o assunto, e que isso não seja motivo para rejeição aos gatos!

Beijos,

Anúncios

Sobre Sora 空

Paulistana, 30 anos, tem 70 gatos em casa.

Publicado em maio 25, 2012, em Uncategorized e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Ótimo post! Super explicativo e importante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: